Home Blog Posts Casos de Sucesso Problemas de hardware já não fazem mais parte da rotina da +bus

Problemas de hardware já não fazem mais parte da rotina da +bus

0
144

Descubra como +bus implementou sinalização digital no transporte público like a boss

Montar operações de sinalização digital implica em escolher os equipamentos que melhor se adequam às necessidades da sua empresa. Não foi diferente para a +bus, que teve que encontrar soluções para os desafios colocados pela frota de ônibus da capital uruguaia.

Envolver os passageiros com as questões da comunidade e criar um ambiente mais descontraído: esses objetivos a +bus alcançou com sucesso, mas não sem planejamento. Foram dois anos de esforço e dedicação até atingir as cem telas instaladas atualmente em dez linhas de ônibus de Montevidéu.

Em entrevista recente à OnSign TV, o diretor de tecnologia da +bus, Edgar Blumenfeld, mencionou que tiveram sua cota de aprendizagem após cometer alguns erros. Superar esses obstáculos que faz a +bus melhor a cada dia.

Confira como e porquê +bus utiliza OnSign TV:

 

A empresa se propôs a oferecer um serviço que precisa de certos pré-requisitos, em um lugar que não tem nenhum deles: os ônibus. Em qualquer outro segmento, há acesso contínuo à conexão de Internet, uma superfície estável e livre de vibração para fixar o player e fornecimento de energia constante. No transporte público, por outro lado, todas essas características estão ausentes.

+bus identificou quais eram as opções mais eficazes e com melhor custo-benefício no mercado para a sinalização digital nas linhas de ônibus. Fez parte dessa abordagem a implantação da solução em poucas unidades para analise dos resultado. Sem fugir de desafios, a empresa repetia o experimento se fosse necessário.

 

Hardware

Não há no mercado hardwares desenvolvidos especificamente para o transporte público. Atualmente, os sistemas que atendem as necessidades comerciais de funcionamento dia e noite só são acessíveis a certas empresas em países mais desenvolvidos. Como não é sensato, de uma perspectiva de negócios, pagar aproximadamente mil dólares por tela, a +bus adaptou o sistema Android para suportar as condições em ônibus em movimento.

Com o passar do tempo, players Android acabaram sendo a melhor escolha para sinalização digital.

Fornecimento de energia

A energia gerada pelos ônibus não é como a que temos em nossas casas. Em vez de 110 ou 220V, os veículos operam com 24V. Nesse caso, são utilizados geradores inteligentes que aceitam potências entre 9 e 48V. Esses equipamentos controlam surtos de energia que poderiam danificar os players.

Esses surtos são especialmente preocupantes quando a corrente elétrica é interrompida por instantes. O equipamento se desliga e, se acontecer repetidamente, pode não reiniciar mais. O mesmo ocorre com computadores quando o plug é puxado bruscamente. O sistema de arquivos também pode ser afetado, deletando dados acidentalmente. Esse problema é detectado facilmente através da análise de logs fornecidos pela OnSign TV. +bus diminuiu o número diário de falhas de 23% à menos de 1% após 6 semanas utilizando o processo de reinicialização do sistema. Hoje, a taxa de erros para players são ínfimos 0,2%.

Conexão de internet

Diferente de shoppings onde é possível puxar cabos de fibra ótica, os ônibus contam com rede móvel que pode ser melhor ou pior dependendo do sinal. Para uma conexão sem falhas, é necessário modems, roteadores e softwares de qualidade. A internet não é só essencial para enviar novas campanhas, como também para monitorar sem interrupções o monitor. É por isso que a +bus escolheu combinar moderns e roteadores comerciais com software Linux personalizado para controlar a conexão.

No começo da operação de sinalização digital, notaram que 60% das telas não estavam conectadas à internet a todo momento. O roteador perdia a conexão e não conseguia reconectar. A solução foi reiniciar o computador assim que o problema fosse detectado, com o auxílio de firmware personalizado para o roteador. Após a introdução desse dispositivo, as telas com falha de conexão caíram para 15%.

Vibração do veículo

As telas têm que suportar o chacoalhar do ônibus, ainda mais quando tem que passar por estradas esburacadas. Dependendo da área, as vibrações alcalçavam 4, 5 e até 6 G – o equivalente à seis vezes o peso do próprio equipamento.

No caso da +bus, as vibrações acabaram causando o aparecimento de pontos brancos nos televisores. Para garantir a qualidade da imagem – umas das marcas fortes da empresa -, a +bus adaptou um sistema de amortecimento parecido com o que existe nos carros nas telas. Assim, as vibrações que chegam até as tevês foram amenizadas. Essa medida teve um impacto positivo imenso nos gastos com manutenção.

 

Todos os problemas mencionados acima fizeram parte do processo de desenvolvimento da tevê digital +bus. Para superá-los, tiveram de fazer inúmeras análises dos erros, desenvolver soluções e implementá-las uma a uma. Somado ao conteúdo diferenciado e a sólida estratégia de negócios, o canal de televisão foi instalado com sucesso em linhas de ônibus que, somadas, chegam a transportar 750 mil passageiros por dia.

 


Confira mais informações sobre +bus no site ou no canal no YouTube.

Conecte-se também à Edgar Blumenfeld no LinkedIn.